Onde Foi Que Eu Acertei Casa da Palavra

Dez entre dez pais — de primeira viagem ou não —  sonham com o dia em que seus filhos virão com um manual de instruções.

A educação de um filho não costuma ser tarefa das mais fáceis mesmo. Mas, enquanto isso ainda não é possível, tanto os papais estreantes quanto os veteranos acabam de ganhar um grande aliado nesta empreitada: Onde foi que eu acertei — O que costuma funcionar na criação dos filhos, o novo livro do médico e psicanalista Francisco Daudt da Veiga, que chega às livrarias pela editora Casa da Palavra.

autor leva para o livro, além de sua bagagem de observação de clientes ao longo de três décadas de clínica, sua experiência pessoal na criação de seus dois filhos — hoje já adultos —  e revela o que funciona ou não nessa difícil tarefa chamada “educar”.

Proponho que você leia esse livro como pai ou mãe, sim, mas também como filho ou filha, para que ele possa lhe ser útil para pensar sobre sua própria criação. Uma das melhores bússolas para a paternidade ou maternidade é a boa memória da nossa infância e do que fizeram conosco”, aconselha Francisco.

Dono de um texto franco e direto, Francisco Daudt,que também é colunista da “Revista da Folha”, discute a opção de ter ou não filhos, aborda a relevância da maternidade e da paternidade no ambiente familiar e na formação das crianças e trata das principais fases vividas por pais e filhos,desde a concepção até a idade adulta. A intenção não é fornecer receitas ou fórmulas, apenas boas doses de informação, com contribuições imprescindíveis para a lida diária com filhos de todas as idades.